terça-feira, setembro 17

Objectos inúteis


Não é a primeira vez que encontrarmos dentro de livros antigos missivas e outros escritos que retratam a maneira como se vivia no século passado. Desta vez dentro do miolo de um livro dos anos sessenta encontramos um postal que convoca a comunidade da igreja católica vizinha para uma festa de caridade. 
Para os pobres tudo serve. Mas esta comunidade foi bastante mais além do que apenas oferecer os objectos inúteis do costume. A missiva dizia o seguinte:


Vamos organizar no próximo mês uma grande festa de caridade. Contamos com as senhoras para nos levarem todos os objectos inúteis que tenham em casa: livros, vestuário, bugigangas e também, naturalmente, os seus maridos.  

3 comentários:

Pedro Carneiro disse...

e também os maridos? Inúteis, como os livros? Soava melhor se tivessem dito objectos que já não precisam e que se podem fazer acompanhar pelos seus maridos.

rmg disse...

O "naturalmente" é soberbo ...

RuiMG

Areia às Ondas disse...

A estória é deliciosa, sem dúvida, e dada a grandes reflexões. Um livro pode-me ser inútil, a mim, e ser útil a outrem; não seria a utilidade do livro em si a estar em causa, mas a utilidade para os actuais proprietários...
De maridos fale quem os tenha :)