terça-feira, fevereiro 7

Deus é cultura


O facto de se trabalhar com livros pode transmitir, erradamente, a ideia de que um livreiro deve ter resposta para tudo e o pior é o próprio acreditar que isso é verdade.


- Por favor, posso fazer-lhe uma pergunta? Como trabalha com livros deve ler muito, não é?

- Uhmm! Sim… mais ou menos.


- Então diga-me, conhece o afresco «A Criação de Adão», de Miguel Ângelo, da Capela Sistina?

- Sim, já lá estive.

- E já reparou que do lado esquerdo da pintura se encontra Adão?

- Sim!?...

- Por isso, já reparou que Adão tem umbigo?... Ora, sendo ele o primeiro homem a ser criado, não devia ter umbigo, porque não nasceu de nenhuma mulher. Não acha? Aliás, o próprio Miguel Ângelo, na altura, colocou essa mesma questão à Igreja.

- Uhmm, bem, não sei…

- Também deve ter reparado que do lado direito da pintura se encontram, Deus, Eva, alguns anjos dentro de um manto que representa um cérebro humano. Será que Miguel Ângelo quis dizer que Deus é apenas uma invenção do nosso cérebro?

- Pois… Talvez!?...

- Deve estar, agora, preparado para me responder a mais esta pergunta: A imortalidade de Deus é uma consequência inevitável da sua própria condição de Deus, ou uma opção?

- Ah! Essa eu sei! Só pode ser consequência, senão há muito que Ele teria morrido de tédio, não acha?


Jaime Bulhosa

2 comentários:

Puck Gifts disse...

Definitivamente é uma consequência, concordo.
Até porque as opções apareciam em letrinhas pequenas e manifestamente manhosas e podiam conter a palavra enxaquecas( devido a erros de tradução, sei lá). O que não é nada saudável nem do ponto de vista semântico, nem de nenhum.
Há associações que não se devem fazer, imortalidade e enxaquecas é uma delas.
Outra forma inteligente que me parece que o panteão do Michelangelo descobriu para afastar o tédio ( e que nós pobres mortais só descobrimos à relativamente pouco tempo no subjectivo decorrer deste), foi a repetida frequência dos ginásios celestes.
Pois só assim se percebe aquele tónus físico-muscular depois de tantos séculos.

Puck

Puck Gifts disse...

Definitivamente é uma consequência, concordo.
Até porque as opções apareciam em letrinhas pequenas e manifestamente manhosas e podiam conter a palavra enxaquecas( devido a erros de tradução, sei lá). O que não é nada saudável nem do ponto de vista semântico, nem de nenhum.
Há associações que não se devem fazer, imortalidade e enxaquecas é uma delas.
Outra forma inteligente que me parece que o panteão do Michelangelo descobriu para afastar o tédio ( e que nós pobres mortais só descobrimos à relativamente pouco tempo no subjectivo decorrer deste), foi a repetida frequência dos ginásios celestes.
Pois só assim se percebe aquele tónus físico-muscular depois de tantos séculos.

Puck